segunda-feira, 6 de abril de 2009

O Mar de Aral


O Mar de Aral situado entre o Uzbequistão e o Cazaquistão foi o quarto maior lago do Mundo.
Desde 1960 o grande lago veio a transformar-se num deserto perdendo 75% da sua água.



Os dois principais rios que abasteciam o lago o rio Sir Darya e Amu Darya que nascem no sistema montanhoso dos Himalaias, foram usados pelo regime Soviético para irrigar através de canais plantações intensivas de algodão na Ásia Central.
Canais construídos de uma forma errada levando a uma agricultura intensiva apoiada no uso de fertilizantes e pesticidas, cerca de 50% da água perdia-se por evaporação antes do seu uso final.

Entre 1962 e 1984 o lago perdeu cerca de 16m de profundidade recuando a sua orla inicial cerca de 100km.



Aproximadamente cerca de 60.000 pessoas viviam do lago da pesca comercial e da aquocultura, as espécies mais capturadas eram a carpa a brema o barbo e o siluro cerca de 40 mil tonelas de peixe eram capturadas anualmente, em 1982 a actividade da pesca comercial chegou ao fim os stocks esgotaram-se assim como a água.



O Lago parecia que dava o último suspiro.

60.000 pessoas tiveram que mudar os seus hábitos de vida, migrações novas profissões reflexo de um mau e exagerado uso dos recursos por parte do homem.

Devido ao uso de Pesticidas e fertilizantes em excesso e à falta de água a mortalidade infantil e as doenças prolongadas como o cancro aumentaram cerca de 30x, a taxa de mortalidade aumentou 15x num período de 10 anos.

Com o desaparecimento da grande massa de água o clima alterou-se passaram a haver Verões e Invernos mais rigorosos.

O que se poderia ter feito para evitar esta tragédia ambiental e humana considerada uma das maiores do Séc. XX



Que Futuro?

Em Janeiro de 1994 os países do Cazaquistão Uzbequistão Turquemenistão e Tajiquistão assinaram um acordo em que se comprometeram a destinar 1% dos seus orçamentos para contribuir para a recuperação do mar, no entanto, a cooperação entre estes países tem sido mínima.
Actualmente, a porção norte do Mar de Aral está-se recuperar, devido à construção do dique Kokaral, obra financiada pelo Banco Mundial.

Foram propostas diversas soluções para os problemas causados pela perda de água do Mar de Aral, em diferentes graus de viabilidade e custos. Estas incluem:

  • Melhoria na qualidade dos canais de irrigação
  • Plantação de vegetação para combater a dessalinização.
  • A imposição de taxas aos agricultores para a utilização da água.
  • Introdução de espécies alternativas de algodão, cujo cultivo requer menos água.
  • A transferência de água desde as geleiras da Sibéria para substituir a água perdida no Aral.
  • Uso de menos produtos químicos no processo de algodão



O Mar de Aral é uma realidade e não está assim tão longe.
Espero que tenham gostado da visita :(

Abraço

3 comentários:

Sargollini disse...

Brutal !!!

Tiveram que bater no fundo para fazer alguma coisa, espero que o mesmo não venha a acontecer no resto do mundo... será ???


Um abração
Sérgio

António Matos disse...

É verdade Sérgio a facilidade com que consegue arrebentar com um ecossistema e mudar brutalmente a vida sa populações, o homem tende a aprender com os erros, pelo menos eu espero que sim.
abraço

Pedro batalha disse...

Boas António
Parabéns pelo óptimo artigo.

Abraço